AUTISMO

Atualizado: Jun 15

O autismo não é doença, é um transtorno caracterizado por prejuízos em importantes áreas do desenvolvimento humano: na linguagem, na interação social, nos processos de comunicação e no comportamento social da criança. Não tem cura e é conhecido por (TEA) Transtorno do Aspecto Autista.





O termo "espectro" é usado para definir a grande abrangência do autismo, pois há vários níveis de comprometimento. Medicamentos são prescritos na presença de doenças associadas (chamadas de comorbidades) ex.: Autoagressão, hiperatividade, compulsividade e dificuldade para lidar com frustração, entre o outros.


PRIMEIROS SINAIS

Os primeiros sinais de autismo aparecem já nos primeiros anos de vida, mas de forma bem sutil, o que dificulta sua identificação, que é mais comum em crianças do sexo masculino.

Ficar atento aos pequenos sinais em bebês:

  • Não fazer contato visual, não atender quando chamado pelo nome, é agitado ou passivo demais, é hiperoral (leva tudo a boca), vai no colo de qualquer pessoa, parece um bebê sério que pouco sorri;

  • Não gesticular, apontar ou balbuciar aos 12 meses;

  • Ausência de palavras com significado aos 16 meses;

  • Não formular frases funcionais com duas palavras aos 24 meses;

  • Espalhar brinquedos e não usar com a função correta, irritabilidade à certos sons e hipersensibilidade;

  • Em alguns casos apresentar um desenvolvimento normal e a partir dos 18 meses apresenta regressão na área comunicacional e de interação social perdendo fala e outras funções.


CLASSIFICAÇÕES


Autismo clássico: apresenta graus de comportamento variados.

• Leve (nível 1): Necessita de pouco suporte, apresenta dificuldades na comunicação, que também afeta na interação social.


• Moderado (nível 2): Apresenta déficits nas habilidades de comunicação verbais e não verbais, necessitando de suporte para o aprendizado e interação social.


• Severo (nível 3): Apresentam déficits de comunicação e interação social graves, e capacidade cognitiva prejudicada. Tendem ao isolamento social e podem apresentar alta inflexibilidade de comportamento.


Autismo de alto desempenho:

- Também chamado de Síndrome de Asperger

(São verbais e inteligentes e quanto menor for a dificuldade de interação social, mais próximo de uma vida sem desafios.


Austimo com comorbidades:

ou seja, além das características principais que estão relacionadas a interação social, a criança apresenta outros transtornos conjuntamente, tais como transtorno opositor desafiador, transtorno de déficit de atenção, déficit intelectual, transtornos psicomotores, dentre outros.



DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO

O profissional responsável em diagnosticar o autismo é o (neuropediatra/neurologista infantil) e um psiquiatra infantil.

O tratamento deve ser multidisciplinar englobando médicos, fonoaudiólogos, psicomotricistas, terapeuta ocupacional, psicólogos e pedagogos, de forma a incentivar o paciente a realizar sozinho tarefas cotidianas e amenizar determinados comportamentos nocivos e estimular outros, contando com a participação ativa dos pais e familiares.


Quanto mais cedo os pais ficarem por dentro dos detalhes do que ocorre com a criança, mais fácil será a compreensão de suas necessidades, rotina e desafios.


Em alguns casos apresenta um desenvolvimento normal e a partir dos 18 meses apresenta regressão na área comunicacional e de interação social perdendo fala e outras funções.

Por isso, não hesitem diante de qualquer suspeita, procure ajuda médica.

119 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
whatsapp-logo-1.png